Lifestyle

Valeu a pena mudar para Lisboa? Parte II.

Por Ju Acácio - 24 de Maio de 2017

Oi gente!

Separei neste post mais três tópicos sobre a minha vida em Lisboa: NIF, trabalho, estilo e custo de vida. Mas este artigo só faz sentido se você leu a primeira parte, lá conto porque escolhi Lisboa, o apartamento e como foi o processo de imigração.  

Bem, como mudar de país é bem complicadinho, ainda tenho muito para falar. Então vamos começar?

NIF = CPF

Outro documento que precisa ser resolvido é o NIF (Número de Identidade Fiscal). Este documento é o nosso CPF e precisamos dele o tempo todo, seja para ter internet e tv a cabo, comprar online, adquirir qualquer serviço. Foi preciso ir até às Finanças (Receita Federal, digamos assim) com comprovante de residência (pode ser do Brasil) e a pior parte, acompanhado de um Português para ser o seu “responsável”. A outra opção é conseguir alguém que tenha autorização de residência portuguesa e já esteja morando por pelo menos 5 anos em Lisboa. É bem chatinho ter que pedir isso para alguém. Exige intimidade e quando você chega todo mundo é novo para você, né?

Trabalho

Optamos por vir mesmo sem o maridón ter a bolsa de estudos do governo brasileiro. E não seria a ausência da bolsa que nos impediria de correr atrás do nosso sonho. Com relação a bolsa e ao trabalho dele: existem processos para conseguir a bolsa de doutorado pelo governo português e este será o próximo passo. Estamos aguardando a emissão do diploma de mestrado que está pra lá de atrasado, já tem 9 meses que ele se formou e nada da UFRJ colaborar. Enfim, atualmente ele trabalha como guia freelancer em uma agência de turismo e receber grupos de turistas brasileiros para explicar sobre a cidade e história da arte. Ele trabalha porque este visto permite que a pessoa além de estudar, possa trabalhar também.

Elétrico

No meu caso, estou trabalhando com marketing de conteúdo para uma agência no Brasil. Na verdade, o meu cunhado (oi Juan!) trabalha com isto e como eu tenho a experiência em escrita e linguagem de blog, ele me indicou alguns cursos online e hoje estou trabalhando com ele nesta área. Ele que já tinha o status de cunhado-e-melhor-amigo passou a ser cunhado-melhor-amigo-e-chefe também. Fico no conforto de casa praticamente o dia inteiro, sentada em frente ao computador produzindo conteúdo. Eu amo escrever! A única desvantagem é que gasto em euro e recebo em reais, e é sempre um susto fazer a conversão hahaha! Utilizamos o transferwise para enviar dinheiro do Brasil para cá, que é uma forma muito simples e barata de lidar com este processo, indicamos!

Falando um pouquinho mais sobre trabalho, o mais indicado é sair do Brasil já com o visto, seja para trabalhar ou estudar. Na verdade, quando se chega aqui o visto passa a ser a autorização de residência. Com essa autorização você tem temporariamente os direitos comuns a um português. A validade deste documento vai depender do motivo que te trouxe para cá, e no nosso caso, podemos permanecer aqui a princípio por 1 ano podendo ser prolongado até o final do doutorado. Para concluir, queria dizer que na minha opinião, juntar dinheiro, vir para cá como turista e procurar emprego pode ser uma furada. A princípio, você não terá a documentação adequada para trabalhar e o SEF não vai emitir uma autorização de residência para quem quer morar e trabalhar aqui, assim, só por vontade própria. O mais indicado é procurar o Consulado Português no Brasil para que eles possam auxiliar e emitir o visto antes de se chegar aqui. Mas, reforço que cada caso é um caso, ok?

Estilo e custo de Vida

Estamos desbravando a cidade e tem muita coisa para conhecer ainda. Moramos em um lugar que dá para fazer muita coisa a pé então gastamos pouco com transporte público. Os valores só para vocês terem uma ideia são:

  • € 1,45 passagem metro;
  • € 1,80 ônibus
  • € 2,85 elétrico.

Existem pacotes para pagamento mensal e também o Lisboa Card com um combo de transportes públicos e entrada em monumentos, por exemplo.

Temos feito alguns programas bem baratos, e nem por isso menos interessantes. Ir com um livro para a beira do rio Tejo ou tomar vinho com amigos em algum miradouro são ótimas opções. Outro programa que gostamos de fazer é visitar museus, tem muitos aqui! Tentamos ir no primeiro domingo de cada mês porque muitos são gratuitos, rs.

Acho que a partir de agora com os dias mais quentes que estão chegando é que vamos de fato fazer mais programas ao ar livre, sair de casa mesmo, fazer piquenique, ir à praia, viver a melhor parte. Mas, é importante entender que a população é mais idosa e mesmo que a lei do silêncio seja a partir das 23h, fazer festinha em casa, dependendo de onde se mora, pode ser uma dor de cabeça.  

Torre de Belém

O custo com alimentação aqui é ótimo, principalmente comparando com o resto da Europa. Mas também vai muito do estilo de vida de cada um, é complicado falar de valores. Gastamos em média 30 euros por semana e nossos hábitos alimentares envolvem pouca carne vermelha (que é caro por aqui), muito ovo e cogumelos, por exemplo. Ah, vinho também é muito barato. Com 2 euros você já consegue achar uns muito bons!

Há uma variedade enorme de restaurantes, tascas e cantinas. A comida portuguesa é uma delícia e na minha ignorância, achava que tudo se resumia a pratos com bacalhau. Há muito, muito mais! Francesinha, alheira, sardinha, caldos diversos. E os doces? Cada região tem a sua produção e patente, então, visitar uma cidade portuguesa também significa conhecer um doce diferente, que talvez só se encontra ali. Vou fazer um post depois só sobre gastronomia portuguesa, combinado?

Como ainda tenho mais para contar, no próximo post falo sobre segurança, preconceito e como é a língua portuguesa daqui. Se tiverem dúvidas e comentários fiquem a vontade! E se conhecem alguém que esteja pensando em mudar para cá, que tal compartilhar este post?

Beijos e até sexta feira!

Facebook Comments

4 Comments
Deixe um comentário
4 Comentários
  1. Julia
    25.05.2017

    me levaaaaaaa pelamorrrrr!!!

  2. Wilson Acàcio
    27.05.2017

    Parabèns minha Juju pelas dicas que vocë està passando para os seus leitores. São informações extremamente importantes para quem deseja visitar ou morar em Portugal!