Lifestyle

Valeu a pena mudar para Lisboa? Parte III – final.

Por Ju Acácio - 26 de maio de 2017

Rua da Rosa – pacata durante o dia e agitada à noite 😉

Bora continuar nossa série sobre como está sendo morar em Lisboa? Se você caiu neste post direto, recomendo a leitura da primeira e segunda parte, vai fazer muita diferença no contexto. Agora, se você já está informado sobre como foi a escolha da cidade, o processo de imigração, custo de vida, visto de trabalho, leia agora sobre segurança, preconceito, português de Portugal e a minha conclusão. Vamos lá?

Miradouro – São Pedro de Alcântara

Segurança

Um dos pontos altos de morar aqui está sendo esquecer o quanto a falta de segurança e a violência são capazes de atrapalhar a nossa rotina. Faz uma diferença danada na qualidade de vida, muito mais do que nós poderíamos imaginar. Não ter que ficar olhando para trás toda hora, usar cordão de ouro na rua, poder atender o celular a qualquer momento e não precisar ficar obrigatoriamente com o vidro do carro fechado. Acho que só quem é brasileiro vai entender essa parte, né? Claro que não é porque você está na Europa, que vai dar mole, principalmente em pontos turísticos. Tem que andar ligado sempre. Mas comparando, assim rapidão, aqui é beeeem (com muitos mais “es” do que se possa imaginar) mais tranquilo.

Preconceito contra brasileiro

Tem? Bem, de uma maneira bem geral, muita gente fala que sim. Eu ainda não passei (e espero não passar) por nenhuma situação absurda e o exemplo que posso dar foi quando estávamos procurando por apartamento. Nos falaram (amigos que já estavam morando aqui) que alugar apartamento para brasileiro é difícil, para mulher brasileira, mais ainda. Então fizemos assim, eu fazia a pesquisa na internet, anotava os números, mas era sempre o Iriê que ligava para marcar as visitas. Lembro que às vezes ele comentava comigo que tinha a seguinte impressão: a pessoa que tinha atendido reparava que ele era brasileiro por conta do sotaque e antes mesmo dele terminar de explicar o que procurava, já davam a informação que o apartamento já estava indisponível. Nunca saberemos se os apartamentos de fato já haviam sido alugados ou se fomos negados por sermos brasileiros. Só reforçando que foi um impressão mesmo, nada concreto, viu?

Panteão

Português de Portugal

O sotaque é muito simpático e divertido, mas, às vezes bem complicado de entender. Algumas palavras são diferentes, construções de frase e expressões também. Eles são bem literais, tudo ao pé da letra mesmo. E para nós brasileiros, que somos famosos pelas melhores propagandas do mundo por construções de frases sempre com um “q” de ironia e duplo sentido, fica complicado entender quando uma colocação é exatamente o que se está querendo dizer. Sem tirar nem por, sabe? É até divertido tentar explicar mas se eu ficar dando exemplo, pode virar piada e não é esta a minha intenção. Claro, com o tempo qualquer brasileiro consegue entender tudo, afinal, é português! Mas tem um detalhe, por aqui os portugueses costumam referenciar que brasileiros falam “brasileiro”, e não português. Enfim, só queria compartilhar que rolou uma dificuldade inicial, e alguns amigos precisaram ter muita paciência comigo (um em especial – oi André Fonseca!). Na verdade, precisam ter paciência até hoje, porque nem sempre entendo tudo, hahaha. Olha o quadrinho abaixo para vocês terem uma ideia do que eu estou falando…

Português de Portugal x Português do Brasil

Humor dos Portugueses

Para mim é um grande mito, todo brasileiro acha que português é mal-humorado né? Mas é aquele tipo de generalização que não faz muito sentido, do tipo, “todo brasileiro sabe sambar”. A gente sabe que não é bem assim, né?

Sempre dei sorte e só jogo energia boa para o universo, acho que volta pra mim. Você pode achar que é bobeira, mas tem funcionado na minha vida. Já entendi que muitas vezes o mal-humor é confundido com a interpretação ao pé da letra, sabe? Do tipo, “o elevador está subindo ou descendo” – “Está parado!”. Um amigo que morou há um tempo atrás em Lisboa (oi David Lima!) me deu outro exemplo: ele entrou no bar e perguntou “Tem coca cola?” E o garçom respondeu “Tem” e ficou ali esperando. Se você não pede o que quer mesmo, eles não vão lhe entregar só porque você perguntou se tem, entendeu? Se você estiver de boas, vai dar risada, se estiver num dia mais estressante, vai achar que foi rispidez. Enfim, eu tenho poucos amigos portugueses, por trabalhar em casa a convivência diminui, né? Mas os que eu conheço já são muito especiais e não são nadinha mal-humorados, rs.

Mas e aí? Valeu a pena?

Eu diria que apesar de toda a dificuldade inicial (que no caso, ainda sinto que estou vivendo), sim, valeu muito! A adaptação não é fácil, viemos em outubro e estava frio pra caramba, por exemplo. Até não seria um problema se as casas tivessem aquecedor, a maioria (e a minha) não tem. Como a energia aqui é cara pra caramba (tipo 70 euros / mês – energia + gás) até fiquei pensando, mesmo se tivesse, ele permaneceria desligado. Ah, e as minhas roupas de frio do Brasil não fizeram nem cosquinha aqui, hahaha. Eu, que não tinha roupa apropriada para ‘friaca’, precisei comprar 2 casacos pesados e blusinhas térmicas para usar por baixo. Não é frescura, nem desculpa para comprar roupa não, antes que alguém pense isso. Sério, frio real mesmo!

Maridón

Eventualmente fico pra baixo, chororô, com saudade da família, do meu cachorro, dos amigos, das minhas deliciosas aulas de circo. Mas, estou muito feliz, me sentindo acolhida e muito mais madura também. Tenho excelentes expectativas e no segundo semestre já vou começar um novo curso de maquiagem (conto em outro post!) e espero retomar as aulas de acrobacias aéreas em breve.

 

Gostaram destes posts com cara de diário?! Espero ter respondido todo mundo de uma maneira geral. Claro que ainda tenho muito assunto para contar (não falei sobre saúde, a oportunidade de conhecer outros países da europa, pessoas que se aposentaram no Brasil e quem tem facilidade se quiserem mudar para cá…).

Bem, se eu não respondi alguma dúvida sua, pode me mandar uma mensagem ou deixar o seu comentário que eu respondo separadamente, combinado?

Ah, e para finalizar, assistam esse programa abaixo, o Giro Record. Passa aqui em Portugal aos sábados à tarde e mostra bem essa cidade linda! Tive meus 15 minutos de fama (não, foi menos de 1 minuto mesmo, hahaha!) e apareço no comecinho do programa. Vejam aí!

E se você conhece alguém que esteja planejando sair do Brasil, que tal compartilhar este post, hein?

Beijos, Jú!

 

8 Comments
Deixe um comentário
8 Comentários
  1. Elizabeth
    26.05.2017

    Gostei muito Jú . Saudades dessa terra. Já

    • 06.06.2017

      Aqui é demais, né? Volta e vem encontrar com a gente!
      Beijos e obrigada!

  2. Aline Henriques
    30.05.2017

    Juuuu, deixei o blog aberto aqui desde o primeiro post pra poder ler tudo com calma e olha… adorei! É normal da gente ter curiosidade sobre um país diferente, sobre como é a rotina por lá, os hábitos e talz. E você conseguiu escrever tudo de um jeito tão bacana, tão leve, tão… a gente! Já quero #diáriodaJu atualizado semanalmente, hahaha! Beijo grande pra vocês dois!

    • 06.06.2017

      Ai que delícia Aline, obrigada! #diariodaju hahaha, será?
      Beijos!!

  3. Fátima
    13.06.2017

    Oi, Juliana! Adorei o blog; estamos pensando em conhecer Portugal (talvez o ano que vem). Também temos ideia de, quem sabe, mudarmos para a Europa; huuum, dá um frio na barriga só de pensar…
    Estamos fazendo planos. Suas dicas foram ótimas e esclarecedoras. Obrigada.
    Beijinhos,

    • 15.06.2017

      Oi Fátima! Obrigada pela mensagem 🙂
      Que bom que o post ajudou, fico feliz!
      Beijinhos e boa sorte!

  4. Julia
    25.06.2017

    Vou mandar para a sogrinha que está a chegar por ai nos próximos dias!

    Beijinhos!

  5. Inez Furtado
    08.10.2017

    Gostei muito de vê-la, especialmente em um lugar tão lindo! Parabéns pelo blog! Adorei as dicas. Manda mais! Beijo
    Tia Inez da Gabi